A área é considerada uma das mais delicadas da nova gestão, considerando a resistência que o Governo petista enfrenta por parte de representantes do agronegócio, especialmente os do Sul e Centro-Oeste.

“O grupo vai aumentar. Agora, nós vamos escolher setorialmente e vamos falar com todos: ABAG [Associação Brasileira do Agronegócio], ABPA [Associação Brasileira de Proteína Animal], associação de produtores de biocombustíveis, OCB, esse pessoal todo vai participar. Agora vamos aproximar da FPA [Frente Parlamentar Agropecuária] num segundo momento”, disse o deputado federal Neri Geller (PP).