Pelo segundo mês consecutivo, Mato Grosso bateu recorde nos valores mensais de exportação de carne bovina alcançando uma receita de R$ 494 milhões. O bom momento das exportações vem desde o início do ano já que, de janeiro a setembro, Mato Grosso obteve receita de R$ 2,84 bilhões, maior valor da história.

Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e foram divulgados no Boletim Semanal da Bovinocultura, realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) em parceria com a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat).

A China segue entre os principais compradores da carne brasileira com crescimento de 61,7% em relação ao mesmo período no ano passado. De janeiro a agosto deste ano, o país foi responsável pela compra de U$$ 3.347,65 bilhões em carne bovina. Hong Kong é o segundo maior importador de carne bovina do Brasil e também apresentou alta nas compras, com o aumento de 27,3% em relação ao mesmo período em 2017.

De acordo com o diretor técnico da Acrimat, Francisco Manzi, os números acompanham o crescimento de abates registrados entre janeiro e setembro deste ano que, segundo dados Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), já supera em 8,90% o total abatido no mesmo período do ano passado. Foram 148,86 mil animais a mais em 2018 em comparação ao mesmo período em 2017.

“É um reflexo do reconhecimento da qualidade e disponibilidade do nosso produto para o mercado externo. Hoje Mato Grosso ocupa o sétimo lugar entre os maiores rebanho do mundo e a qualidade da nossa carne tem sido responsável por abrir cada vez mais mercados”, afirma Manzi.

AVALIAÇÃO - Na última semana o Indea MT tornou disponíveis os dados do abate de bovinos mato-grossenses do mês de set/18. Como já era aguardado, devido às condições das pastagens no Estado, o montante abatido reduziu 13,46% no comparativo mensal, atingindo o total de 466,81 mil cabeças. Restando três meses para o fim do ano, o acumulado de animais mato-grossenses abatidos neste ano (jan/18-set/18) já supera em 8,90% o total abatido no mesmo período do ano passado. Além de abater mais animais, Mato Grosso segue ampliando a participação dos bovinos com menos de 24 meses no abate total. Foram 148,86 mil animais a mais em 2018 (acumulado jan-set) em comparação a 2017, resultando na maior participação desta categoria no total abatido da história, de 15,20%. Diante disto, nota-se que o pecuarista pode estar caminhando na direção de reduzir a permanência do gado na fazenda, na busca por melhorar a rentabilidade da atividade.